fbpx

O ISO DIGITAL – RECURSOS E DÚVIDAS

O conceito de ISO parece banal, mas entender as possibilidades que a digitalização da fotografia trouxe é essencial para saber usá-lo bem.

Todos sabem que ISO é um número que representa a capacidade do sensor de reproduzir uma certa quantidade de luz que recebe. Quanto maior o número, menos luz ele precisa para gerar sua melhor imagem. 

Mas vamos entender o processo da luz até a sua gravação no cartão. 

Ao receber a luz, o sensor aplica uma amplificação analógica. Esta informação define o ISO nativo da câmera. É o valor de sensibilidade com menos ruído, maior amplitude dinâmica (dynamic range) e melhor reprodução de cores e tons de cinza. 

Cada câmera tem apenas um ISO. No próximo post falaremos sobre a nova tecnologia de ISO duplo. 

A etapa seguinte é a transformação desta informação em dados digitais pelo Conversor Analógico Digital, ADC (Analog Digital Converter). 

Ao variar o ISO para além do nativo, realizamos uma amplificação digital. Aumenta-se a sensibilidade à luz, mas também as perdas de nitidez, crominância e luminância. 

A última etapa é gravar a informação no cartão de memória. No caso de arquivos RAW, os valores de amplificação digital aparecem como metadatos. Nos CODECs a ampliação é embutida na imagem.

Variar levemente o ISO além do nativo não compromete a limpeza ou a reprodução da imagem. O resultado é próximo ao do ISO nativo. Porém, ao se afastar muito da base, os problemas passam a ser mais perceptíveis. 

A amplitude dinâmica da câmera se mantém em ISOs não muito distantes do nativo. A partir de um certo ponto, começa a diminuir. 

Um último, mas muito importante efeito a ressaltar é a alteração na distribuição de luminância acima e abaixo do cinza médio. 

Quanto mais alto é o ISO, maior é o número de stops de alta luz e menor os de baixa luz. Ao reduzir o ISO, acontece o contrário. (Veja a imagem destaque)

Assim, ao contrário do que muitos pensam, em situações de pouca luz é melhor trabalhar com um ISO menor. Obviamente sem subexpor. 

Já ao filmar em dunas ou na neve, melhor fazer o contrário: subir o ISO. Prepare seus NDs! 

Qualquer dúvida entre em contato conosco. Vamos subir o nível da conversa! 

Como é possível uma câmera com dois ISOs nativos? Veja aqui.

Texto: @joaorubio

#timemonstro#monstercam#monstercamconhecimento#iso#luz#adc#locaçãodecâmeras#fogorafia#iluminacao#cameras#cinema#amplitudedinamica#codec#raw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COPYRIGHT © 2020 MONSTERCAM. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS – Desenvolvimento: Doppiod